quinta-feira, 24 de junho de 2010

Boa-nova para amantes do judo... Nacional de Benguela aposta na formação de camadas jovens

No princípio deste ano, o Clube Nacional de Benguela (vulgo escola do Mestre Fidel) abriu as oficinas da modalidade de Judo aos escalões de Iniciados e Esperanças, dos oito anos para cima. Das 5h30 às 7h00 e das 17h30 às 20h30. Até Maio, o número de inscritos passava de cem, sem contar com os escalões de competição (seniores, juniores e juvenis). E não são apenas crianças e adolescentes residentes de Benguela. A reportagem do Boletim A Voz do Olho constatou no local um pequeno grupo de atletas vindos do Lobito para os treinos à noitinha.

«Temos um aspecto social, o de tirar as crianças da rua. Em vez de se juntarem e formar grupos, ficamos a praticar o judo. Saem daqui, já não têm tempo formar grupos, quadrilhas. Se o governo der mais apoio a esses participantes, então teremos grandes praticantes no futuro, campeões olímpicos», augura Hamilton Marcos “Mestre Hamilton”, um dos orientadores.
Qual tem sido a reacção dos pais? «Fizemos um inquérito e vimos que os filhos é que pediram aos pais. Também há os que trazem os filhos a esta modalidade. E fazemos um acompanhamento fora do clube, sabendo o comportamento deles em casa, na rua e na escola. Temos que saber as notas, porque queremos atletas bem formados para o desenvolvimento, não só nesta modalidade, mas também em outras actividades, como eu, que sou artista do grupo musical Margem-Sul».
O gosto pela modalidade atenua o impacto das dificuldades, que Mestre Hamilton não esconde: «Sabemos que os desportos de luta são pouco apoiados. E temos as dificuldades que têm outros clubes em Angola. Não temos fatos. Temos um tartame profissional, mas é curto, não chega para todos», conta para de seguida acrescentar: «o uniforme? São pessoas que viajam e compram no Japão ou China. Um quimone para crianças é USD 100. Para adultos são por aí USD 120 ou 140. E não temos essa possibilidade. Por isso é que vemos atletas de camisa e fato olímpico».

Iriana Tavares, uma das três meninas da “academia”, tem 15 anos de idade, pratica judo há 3 meses e sonha ser judoca profissional. «Eu gosto muito dessa modalidade, não tem muita violência». Anda na 10ª Classe e diz que o Judo não atrapalha. «Tenho um só horário aqui, e também tenho outro para a escola». Um recado para outras crianças: «Que venham experimentar o Judo. Muitos pensam que dói, mas não».


Filipe Costa, 9 anos, é dos mais novos do clube. Inscreveu-se, diz, «porque eu gostava muito disso, porque não aleija. Meu irmão, meu primo e eu estamos a treinar aqui». Estuda a 5ª classe e gostava de ser no futuro «judoca bom». Para outras crianças, deixou um recado: «Aqui, o futebol também é muito bom para as pessoas que gostam do futebol ou andebol».

Isidro de Almeida, 17 anos, amarelo avançado. «Pratico judo há 4 anos. Estava um tempo parado, estou a começar de novo», conta. «Eu gosto de desporto. Treinei Basquetebol, Capoeira, também Ténis e agora vim apostar no Judo. É uma coisa muito porreira. Muita gente pensa que é muito físico, os que treinam Judo querem lutar na rua, mas não. É mesmo amor pelo desporto. Venham, é gratuito».

Joaquim José Kiuma, 5ª Classe, mora no bairro da Massangarala. «Vi que o Judo era o desporto ideal para mim». No futuro «quero ser engenheiro dos petróleos». indagado sobre o que os seus pais acham de praticar judo, realçou: «Eles gostam, porque sabem que é bom para mim e para eles».


(Da esq. para dir.) Hamilton, Iriana, Kiuma, Isidro, Filipe


6 comentários:

Anónimo disse...

o treinador Matos Cardoso não está capacitado para orientar a Selecção Nacional e não sabe manter uma boa relação com os atletas. Depois dos Jogos da Lusofonia, num almoço realizado em Luanda, o treinador foi questionado sobre o assédio sexual a uma atleta. Isso mancha qualquer indivíduo e a Federação deveria abrir um inquérito para se averiguar a situação. Um treinador com historial de assédio sexual deve ser afastado.

O presidente da Federação Angolana de Judo, Quintino Cabral, reuniu o professor Matos com a atleta para abordarem o caso. Tomámos conhecimento e ficámos tristes com a situação. Mais tristes ainda por a Federação não ter tomado nenhuma decisão e manteve-o no cargo. A atleta está prejudicada por não poder representar mais a Selecção Nacional e temer represálias do treinador.

Anónimo disse...

o nistro da juventude e desporto tem k por a mao no judo. s n vai morrer diante d tds.

Anónimo disse...

o ministro da juventude e desporto tem k por a mao no judo. s n vai morrer diante d tds.

6:13 AM

Anónimo disse...

sera k o ministro n sta a ver esses comentarios a malta do judo precisa d ajuda a judo sta a morrer

Anónimo disse...

O judo angolano está em risco de desaparecer e, se não se tomarem medidas pertinentes, vai morrer diante d todos. muitos judocas estao a abandonar, por causas desse elenco e dos outros k ja passaram, e isso e mto mal para modalidade e para o pais k precisa judocas.

Anónimo disse...

O judo angolano está em risco de desaparecer e, se não se tomarem medidas pertinentes, vai morrer diante d todos. muitos judocas estao a abandonar, por causas desse elenco e dos outros k ja passaram, e isso e mto mal para modalidade e para o pais k precisa dos judocas.

JOVENS DEBATEM SOBRE - A JUVENTUDE E OS DESAFIOS DA RECONSTRUÇÃO NACIONAL NAS "NOITE DE PALCO ABERTO"

O debate  destaca a visão dos jovens relactivamente aos problemas que   enfrentam no actual contexto da vida do nosso país e os ...