quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Lançado alerta para a escassez de preservativos e retrovirais


Falando no acto da abertura do Seminário Nacional de Formação de Formadores, António Coelho, secretário executivo da ANASO, afirmou que a sua instituição pretende aumentar a capacidade das organizações nacionais para melhor servirem as famílias e as comunidades. Participam ao seminário, orientado por especialistas nacionais activistas de ONG coordenadores de projectos, supervisores, líderes religiosos e comunitários das províncias de Luanda, Cabinda, Cunene, Lunda-Sul e Huambo.

António Coelho disse que “este ano vai ser difícil para o país no capítulo da resposta nacional ao VIH/SIDA no que diz respeito à mobilização de fundos, porque em 2008 o projecto de Angola para Fundo Global tinha sido reprovado por deficiência técnica” e afirmou que para o presente ano, o Ministério da Saúde não concorreu a fundos internacionais para apoios às diferentes iniciativas da resposta nacional ao VIH/SIDA.

Sublinhou que o país se debate com escassez de retrovirais, ruptura de preservativos e problema de aquisição de reagentes. “O país poder conhecer brevemente uma suptura de retrovirais”, disse.

Em relação às ONG, António Coelho precisou que o país regista cerca de 200 organizações que trabalham fundamentalmente na prevenção, nos cuidados e na assistência. “Neste momento, estamos a reflectir se devemos continuar a estimular o surgimento de novas organizações ou se devemos apostar no fortalecimento das já existentes”, disse, sublinhando a necessidade de se responsabilizar as organizações nacionais e dotá-las de capacidade crítica para que possam discutir os problemas que afligem o país.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Luta contra a SIDA (INLS), 207. 879 pessoas vivem com o vírus em Angola, sendo Luanda com 7.859, Cunene com 2.243 e Cabinda com 1.273 as províncias com as mais altas taxas de prevalência.

Fonte:JA/Angonoticias28 Jan 2009

Na foto: Maria Geovety de Brito "Soraya" (falecida a 31/07/07), foi o símbolo da seroprevalência e luta contra a estigmatização de pessoas vivendo com o VIH. Arquivo do Boletim informativo educativo e cultural "A voz do Olho"

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Após um ano parado... "Viver para Vencer" regressa com sessões de mesa redonda radiofónica

Arranca já na próxima semana a nova fase do programa "Viver para Vencer", um espaço semanal de hora e meia por sessão dedicado à mesa redonda sobre diversos temas no contexto da cidadania e saúde preventiva. Hoje mesmo ultimaram-se os procedimentos burocráticos e a equipa está motivada.

Sob produção e execução da AJS, será transmitido através da Rádio Morena Comercial (97.5 e 96.0 FM), cobrindo as três cidades do litoral da província de Benguela (Lobito, benguela e Baia FArta).

Conta com apoios da ONG Médicos del Mundo Espanha.Uma inovação do espaço é a introdução da rubrica "Nossa Homenagem", em jeito de reconhecimento às pessoas pelo exemplo de sucesso. Para o efeito, a equipa de produção identificará pessoas (preferencialmente jovens) cuja história de sucesso sirva de encorajamento para os demais. O princípio continua a ser aquele segundo o qual "a cidadania é resultado de um exercício permanente de educação e comunicação".

Recorde-se que a primeira experiência da AJS de educação e comunicação usando a rádio deu-se em 2003/04 com o programa/projecto "Palmas da Paz", na ocasião, apoiado pela USAID através do CREA durante seis meses. Sguiu-se (2006/07) o espaço "Viver para Vencer", com apoios do Fundo Global-PNUD e também da Embaixada Americana, no âmbito dos Projectos "Viver contra a SIDA-Cidadania e Saúde Preventiva" e "Palmas da Paz-2", respectivamente.


“Noite de Palco Aberto” "A Juventude e o seu Contributo na Manutenção da paz"

O debate aconteceu no dia 06 de Agosto de 2017, Domingo no pátio dos escritório da AJS...